Depois do sucesso de seu filme biográfico, a escritora Raquel Pacheco, também conhecida como Bruna Surfistinha, revelou que pretende dar sequência a produção, mas desta vez narrando sua vida pós prostituição.

“Quero que saia o quanto antes para calar bocas. Não vamos contar com a Ancine. Mas vai ser questão de honra”, afirmou em entrevista à coluna de Mônica Bergamo do jornal Folha de S. Paulo.

E Raquel ainda completa afirmando que há chances dela interpretar ela mesma no cinema e que não tem problemas em estar na frente das câmeras. “Sou dona de uma história que exige muito preparo [para ser interpretada]”, contou Bruna, que polemizou ao falar de Bolsonaro.


Os relatos de Bruna sobre o mundo da prostituição viralizaram nos anos 2000, que renderam um livro e posteriormente o filme – que inclusive não agradou Debora Secco. Agora, a escritora anuncia que pretende lançar, ainda neste ano, um novo livro sobre o período em que esteve na profissão.

“Na prostituição, a mulher acaba se machucando emocional e fisicamente. Então, me dou conta que a prostituição, para mim, foi a busca de um herói, de um homem que pudesse me salvar de alguma maneira”, declara.