O procurador Craig Northcott do estado do Tenessee, Estados Unidos, poderá ser processado e perder a licença para trabalhar após se negar a proteger casais homoafetivos em casos de violência doméstica.

A denúncia se fortaleceu após o procurador ser filmado discursando em um Seminário Teológico Bíblico em março deste ano. Na ocasião, Craig afirmou expressamente que não atenderia casais homoafetivos por “ser um bom cristão”. Craig era o procurador responsável por aplicar as medidas protetivas para casais em casos de violência doméstica.

Na palestra, ele também afirma que procura formas de ignorar a decisão da Suprema Corte que aprovou o casamento igualitário nos Estados Unidos. “Eu discordo (do casamento igualitário), então porque eu aplicaria uma medida de proteção para casais nesses casos?” Afirmou.

Agora, entidades ligadas à violência doméstica e à comunidade LGBT se reuniram para processar o procurador, acusando-o de discriminação e de colocar em risco as pessoas LGBT. A petição também afirma que o procurador deve aprender a separar suas convicções pessoas e suas decisões profissionais para que possa manter o cargo.