Partido de extrema direita israelense compara LGBTs com nazistas

Publicadohá pouco tempo
Publicidade

Carregando...

Não foi possível carregar anúncio

Um partido conservador de Israel comparou os ativistas LGBT aos nazistas. Campanha também comparou gays, lésbicas, bissexuais e pessoas trans a terroristas, afirmando que “eles querem nos destruir”.

O partido de extrema direita Noam começou sua campanha política para as próximas eleições presidenciais afirmando que seu principal objetivo é combater os direitos LGBTs. Em propaganda, políticos conservadores comparavam a comunidade LGBT ao nazismo: regime responsável pelo assassinato de mais de seis milhões de pessoas durante a Segunda Guerra Mundial.

Continua depois da publicidade

Carregando...

Não foi possível carregar anúncio

Após exibir a foto de Hitler (principal nome associado ao Nazismo), a propaganda afirmava que apenas os métodos foram trocados. “Eles querem nos destruir, mas de dentro” narrava o vídeo, exibindo imagens das Paradas LGBTs.

O vídeo só esqueceu de avisar, entretanto, que o Nazismo foi um regime de extrema direita que perseguiu minorias sociais. Números oficiais indicam que cerca de sete mil gays e lésbicas foram mortos nos campos de concentração nazista.

Este mês, uma política conservadora americana também culpou a comunidade LGBT pelos tiroteios em massa nos Estados Unidos. Em sua página no Facebook, Candice Keller culpou o “casamento igualitário, o direito das pessoas trans e as ativistas drag queens” pelas mortes. A política conservadora também falou em “queda da família tradicional americana” como uma das razões para que esses ataques tenham ocorrido.

Publicidade

Carregando...

Não foi possível carregar anúncio