A Parada LGBT de João Pessoa (PB), que será realizada em 29 de setembro, cancelou uma de suas principais atrações após determinação da Prefeitura. O motivo? O discurso “muito pejorativo” da cantora Linn da Quebrada – travesti, negra e uma das mais proeminentes vozes LGBT+ do cenário cultural do país.

Em seu twitter, a cantora comunicou que recebeu a informação do cancelamento por email na tarde de hoje, 02 de agosto. Após questionar a organizadora do evento (a Fundação Cultural de João Pessoa) sobre o motivo do cancelamento, foi informada que se tratava de uma “orientação” recebida pela produção.

“Frisamos aqui que entendemos bem o termo “orientação”, sabemos ao que ele se refere e significa – CENSURA!escreveu a equipe da artista na rede social. Nos bastidores, a questão levou ao pedido de afastamento de uma das responsáveis pelo evento. Frankla, que trabalhava na Fundação Cultural como co-organizadora da Parada, pediu afastamento de suas funções ao reconhecer o caráter autoritário da decisão tomada.


“A justificativa do cancelamento da Linn se deu claramente pelo discurso político que a mesma carrega, por defender uma pauta que até dentro do próprio movimento é marginalizada, a de corpos dissidentes [trans].” Comentou a produtora sobre o assunto.

Tão polêmica quanto aclamada, Linn vem conquistando destaque no cenário nacional pelo seu trabalho que une música, visibilidade e ativismo. Em 2018, o documentário “Bixa Travesty” que registrou alguns momentos de sua trajetória, foi premiado internacionalmente em Cannes. Em 2019, a cantora estreou em programa da Rede Globo de Televisão. Em setembro, Linn da Quebrada se apresentará ao lado de Karol Conka e Gloria Groove na próxima edição do Rock In Rio.