Um memorial em homenagem às vítimas LGBTs do Nazismo foi violado esta semana em Berlim, na Alemanha. Escultura que apresentava vídeo histórico de beijo entre dois homens amanheceu pichado.

Leis contra a comunidade LGBT vigoraram na Alemanha até 1969, com ao menos 45.000 homossexuais presos durante o regime Nazista. Números oficiais indicam que cerca de sete mil gays e lésbicas foram mortos nos campos de concentração.

Em 2002, o Parlamento Alemão emitiu um pedido de desculpas oficial às vítimas LGBTs do Nazismo. Isso porque, mesmo após o fim do regime, essas pessoas continuaram excluídas dos processos de reparação e da narrativa histórica ensinada nas salas de aula, por exemplo. Também foi negada indenização às famílias dessas vítimas.


O memorial foi inaugurado em 2008 por Klaus Wowerit, o primeiro prefeito abertamente homossexual da cidade. O monumento se encontrava no parte central da cidade, no Tiergarten Park, onde também está localizado o Memorial do Holocausto.

Esta semana, o monumento amanheceu pichado, com a tela onde era exibido o beijo entre dois homens coberta de tinta preta. “Um simples beijo poderia te causar problemas” dizia o monumento agora vandalizado. Aparentemente ainda pode.