A justiça autorizou a contratação de uma empresa para desbloquear os aparelhos celulares dos ex-PMs Ronnie Lessa e Élcio de Queiroz, suspeitos de participarem do assassinato da vereadora lésbica Marielle Franco e o motorista Anderson Gomes.

As informações extraídas dos aparelhos serão encaminhadas para o Ministério Público do Rio de Janeiro, para análise pericial. O pedido foi feito por promotores do grupo de combate ao crime organizado do MP-RJ.

Após a autorização, os cinco celulares apreendidos com os suspeitos serão encaminhados para uma empresa particular em São Paulo. Ela seria a única no Brasil que detêm tecnologia suficiente para desbloquear os aparelhos, que são de última geração. As informações brutas serão encaminhadas ao MP e anexadas ao processo.


Os ex-policiais Ronnie Lessa e Élcio de Queiroz, foram presos no início do ano através e de uma operação da Polícia Federal. Ronnie é apontado como autor dos 13 disparos que tirou a vida da ativista LGBTQ+. Já Élcio é apontado como responsável de dirigir o carro, de onde saíram os tiros.