Madri, na Espanha, será a primeira cidade no mundo a instalar um abrigo público voltada para idosos LGBTs. Oportunidade será “um teto sem armários” para idosos que podem não se sentir confortáveis em abrigos tradicionais.

Anunciada no ano passado, a “Fundación 26 de Diciembre: Mayores LGTB”, espera contar com 66 moradores e contará com um centro de atividades diárias. Atualmente, a fundação já atende idosos gays, lésbicas, bissexuais e transgênero com serviços de saúde, alimentação e atividades sociais. O abrigo será o próximo passo no acolhimento e proteção desses indivíduos.

As obras começaram há cerca de quinze dias no bairro de Villaverde, sul da cidade de Madri e devem terminar no próximo ano. O investimento é de cerca de dois milhões de euros.


Além das vagas gerais, serão oferecidas também doze vagas para idosos em tratamento paliativo. Isto é, aqueles que estão mais próximos da morte. Também serão reservadas cinco vagas privadas, para quem puder pagá-las.

A construção de um abrigo específico para idosos LGBT é necessária pela alta vulnerabilidade dessas pessoas. Muitas vezes, pessoas LGBT precisam esconder sua orientação sexual ou identidade de gênero para serem cuidadas pelas suas famílias ou foram abandonadas por elas ao saírem do armário.