(Imagem: Reprodução//Instagram)

Matéria realizada pela BBC, um dos mais tradicionais veículos de comunicação do mundo, aponta a participação de influencers trans na indústria da propaganda nacional.

Em parceria com os youtubers Thiessa Woinbackk (@thiessita) e Lucca Najar (@lucca.najar), a revista britânica ressalta que influencers da comunidade trans (formada por travestis, transexuais, homens e mulheres trans, além de pessoas não-binárias) estão sendo convidados por empresas brasileiras para que seus produtos alcancem novas audiências.

Thiessa, que tem mais de quatrocentos mil inscritos e trinta e cinco milhões de visualizações em seu canal no Youtube, relembra que perdeu muitas oportunidades de trabalho por ser uma mulher trans. No Youtube, encontrou acolhimento e espaço para veicular suas ideias – além de seu sustento. A influencer já assinou com grandes marcas de maquiagem e produtos para cabelo e ressalta sua capacidade de alcançar um público que as celebridades da televisão não acessam.


Para Lucca Najar, o Youtube foi uma possibilidade de potencializar suas ideias para fora de sua bolha social. De dialogar com pais e professores, por exemplo, sobre questões envolvendo a população transgênera. Segundo ele, entretanto, é preciso ter responsabilidade para vincular sua imagem às propagandas, já que algumas empresas só apoiam a comunidade LGBT quando é conveniente para eles.

“Quando as paradas do Orgulho LGBT se aproximam, eles fazem campanha. Mas nós sabemos qual seu real posicionamento é” denuncia o youtuber.