Após dar diversos posicionamentos polêmicos contra sobre os homossexuais, o bispo grego-cipriota da Igreja Ortodoxa, Neophytos, está sendo investigado por discurso de ódio pela polícia de Chipre.

Conforme o site Diário de Notícias, o pedido foi realizado pelo procurador-geral da ilha, logo após o bispo afirmar que “a homossexualidade poderia ser transmitida quando as mulheres grávidas fizessem sexo anal”.

“Isso ocorre durante o sexo na gravidez. Um tipo de ato sexual anormal feito entre os pais. Para ser mais claro, sexo anal. O santo Porfírio diz que quando as mulheres gostam desse tipo de ato, um desejo nasce, e, depois, esse desejo passa para a criança”, disse o bispo durante uma conferência pública, na cidade de Akaki.


Logo em seguida o religioso relatou a história de um santo e de um “menino lindo”, o bispo disse que os gays eram instantaneamente reconhecíveis porque emitiam um “odor particular”.

Segundo a publicação, após a fala de Neophytos o governo o denunciou afirmando que ele estaria “insultando a dignidade e a igualdade dos cipriotas”. Um grupo de ativistas LGBTs locais, pede que o religioso enfrente medidas disciplinares.