Eduardo Costa diz que não vê problemas em ter filho gay, desde que não seja “afeminado”

Publicadohá pouco tempo
Publicidade

Carregando...

Não foi possível carregar anúncio

Após revelar que já fez sexo com 10 mulheres em um único dia, o cantor Eduardo Costa afirmou que não vê problemas em ter um filho gay, mas prefere que ele não seja “afeminado”. A declaração foi dada durante uma entrevista ao jornalista Léo Dias, do site Uol.

“Se eu tiver um filho homossexual, você acha que eu vou ligar? É ruim, é triste? Claro que não. A parte triste é se esse filho levantar bandeira e dizer que todo mundo tem que ser viado”, afirmou o ex-affair de Antônia Fontenelle.

Continua depois da publicidade

Carregando...

Não foi possível carregar anúncio

“Se meu filho é viado, (mas) tem postura, se veste bem, não fica aquele viado afeminado, cheio de trejeitos, mas tem o namorado dele lá, tem as coisas dele lá, no cotidiano é um homem que paga suas contas em dia, cumpre obrigações é um cara sério, então meu filho é viado, mas é muito mais macho que um monte que tem por ai”, disse ele. “O que cobro de qualquer ser humano, seja viado ou não, é postura”, completou.

Ainda durante a entrevista, Eduardo, que polemizou na última eleição ao apoiar o presidente Jair Bolsonaro (PSL), relatou que teve bastante prejuízo com a escolha política. Ele teria perdido contratos milionários.

“Perdi muito show. Eu tomei um prejuízo com o Bolsonaro de quase 5 milhões de reais, só por aquelas coisas que eu falei. Eu fazia 150 shows por ano, eu fiz 90”, declarou.

Publicidade

Carregando...

Não foi possível carregar anúncio