Crimes de ódio contra LGBTs são os mais altos da década.
(Imagem: Getty Images)

Conforme noticiado pelo The Guardian, uma pesquisa da Universidade da Califórnia revelou que crimes de ódio contra LGBTs e outras minorias aumentaram nos Estados Unidos pelo quinto ano consecutivo. Os grupos mais atacados, além das pessoas LGBTs, são a comunidade negra e os judeus.

A pesquisa também revelou que, embora o número de homicídios em geral tenha diminuído nos últimos anos, os homicídios causados por supremacistas brancos aumentaram consideravelmente, bem como homicídios marcados por extrema misoginia. Para gays, lésbicas, bissexuais e pessoas transgênero, esses números nunca estiveram tão altos na última década.

Dentro da comunidade LGBT, mulheres transgênero negras são as mais vulneráveis. Apenas esse ano, doze dessas mulheres foram assassinadas nos Estados Unidos. Em todo o país, apenas trinta e seis dos cinquenta estados criminalizam expressamente crimes de ódio contra LGBTs.


No Brasil, os números da violência LGBTfóbica também nunca foram tão altos, conforme registrou o Atlas da Violência. Foram 193 homicídios denunciados apenas no ano de 2017. Em junho desse ano, o Supremo Tribunal Federal decidiu pela Criminalização da LGBTfobia no Brasil, equiparando esses crimes ao crime de racismo.