O assassinato de Dandara dos Santos, em fevereiro de 2017, chocou a comunidade LGBT pela brutalidade com que foi realizado. A travesti de quarenta e dois anos foi espancada até a morte no Ceará, nordeste brasileiro. Agora, sua história vira um livro.

“Sempre tive certeza que o livro ia ser um sucesso. Estou falando da vida de um ser humano que estudava, brincava, tinha amigos, projetos, sonhos. Era uma pessoa, tinha vida, merecia dignidade” diz a autora, Vitória Holanda, amiga de infância da vítima.

Vitória Holanda não tinha experiência literária antes da redação da obra “O casulo Dandara”. Entretanto, afirmou que o processo criativo foi bastante inspirado pelas lembranças que compartilhava com Dandara.


“Para escrever, escutava Legião Urbana, que era o que eu e ela mais ouvíamos na nossa adolescência. Fui lembrando de tudo, da infância, do contexto social. Fui tomando gosto e não parei mais de escrever” contou para um jornal local.

O Casulo de Dandara será lançado na XIII Bienal Internacional do Livro do Ceará na próxima quarta-feira, 21 de agosto, às 17:30. A autora também participará de uma roda de conversa intitulada “Combate à violência contra LGBTs”.