Minnesota, Estados Unidos: Um juiz decidiu em favor de um casal heterossexual que processou o Estado pelo direito de recusar clientes LGBT. Carl e Angel Larsen trabalham com cobertura fotográfica e se negavam a filmar casamentos homoafetivos. 

Em 2016, o casal decidiu processar o estado do Minnesota pela aprovação do Human Rights Act. A lei implementada no estado protege gays, lésbicas, bissexuais e pessoas transgênero da discriminação, proibindo que estabelecimentos comerciais ou serviços públicos se neguem ao atendimento dessas pessoas, por exemplo. 

Apesar de nenhum casal LGBT ter, de fato, procurado os serviços de Carl e Angel, a dupla se sentiu violada pela impossibilidade de negar a prestação e decidiu iniciar uma cruzada para derrubar a lei. Um ano após o processo, um juiz decidiu encerrá-lo por considerá-lo altamente discriminatório, comparando a iniciativa com o apartheid.


Agora, após ingressarem com recurso, três juízes reverteram a decisão e julgaram em favor do casal, dizendo que uma filmagem trata de um “veículo de comunicação de ideias’ e, por isso, ninguém poderia ser obrigado a realizá-la. 

E você, o que pensa sobre o caso?