Um casal gay está deixando a Rússia com seus filhos após ser processado pela “Lei anti-propaganda homossexual” do país. O crime? Terem adotado dois jovens órfãos.

Andrey Vaganov e Evgeny Erofeyev, casados legalmente no exterior, foram denunciados ao levar seus filhos para um hospital russo sob suspeita de apendicite. Ao chegarem ao local, os filhos foram examinados para sinais de abuso sexual e físico, mesmo sem qualquer suspeita. O hospital também denunciou a família para o Comitê de Inteligência Russa, diz o website.

Quando o Comitê multou o orfanato responsável pela adoção, o advogado do casal os orientou a considerar sair do país. Isso porque a Lei poderia ser utilizada para revogar a adoção e até punir os pais.


A “Lei anti-propaganda homossexual” da Rússia está vigente desde 2013, data posterior da adoção das crianças pelo casal. Desde então, a lei já foi utilizada para perseguir artistas, prender manifestantes e ativistas, fechar websites e organizações não-governamentais. Formalmente, a lei se propõe a “proteger as crianças de informação que promova a negação dos valores familiares tradicionais”.