Um casal gay foi espancado por um homem após tentar defender uma mulher, durante uma festa de aniversário neste domingo (4), no bairro de Copacabana, no Rio de Janeiro. Segundo os rapazes, eles foram vítima de homofobia.

Em depoimento, as vítimas afirmaram que o homem tentou acertar a mulher com uma garrafa na cabeça. Ao presenciarem a cena, eles interviram e o agressor afirmou que LGBTs tinham que morrer.

Após o ocorrido, policiais do 19º Batalhão de Copacabana foram acionados, mas, ao chegarem ao local, o homem já havia fugido. “Assim que ele entrou, estávamos eu e ele, e ele nos agrediu. Ele me agrediu com um soco na cara”, disse uma das vítimas ao programa Bom Dia Rio.


O agressor já foi identificado, mas até o momento não foi preso. Um inquérito foi instaurado pela 12ª DP (Copacabana) para investigar as agressões. O homem responderá pelos crimes de lesão corporal e injúria por preconceito. A mulher atacada não procurou a delegacia.

Em junho deste ano o Supremo Tribunal Federal decidiu pela Criminalização da LGBTfobia no Brasil, desde então todos os casos de caráter descriminatório contra pessoas LGBTs, podem ser enquadrados como crime de LGBTfobia. O criminoso pode pegar até três anos de prisão.