AguinaldoSilva
O autor de novelas Aguinaldo Silva (Foto: Reprodução/Facebook))

Após o presidente do Brasil, Jair Bolsonaro (PSL), afirmar que filmes com temática de diversidade sexual e de gênero, não receberão financiamento público pela Ancine, o autor global, Aguinaldo Silva, se demonstrou preocupado.

Em uma publicação feita no Facebook nesta terça-feira (21), Aguinaldo, que é abertamente gay, comentou a notícia do presidente e relatou momentos difíceis pelo qual passou na ditadura. Segundo o novelista, a nova geração dos LGBTs brasileiros correm o risco de viver o mesmo.

“Pelo andar da carruagem em breve os gays terão que se esconder nos guetos ou fugir da polícia de novo, como acontecia nas décadas de 60/70. Já vou começar a exercitar minhas pernas”, escreveu Aguinaldo, que já relatou que sofreu bullyng por ser gay quando era criança.


Logo em seguida, o autor de O Sétimo Guardião cita o nome de um dos personagens mais temidos pelos LGBTs na ditadura militar. “Naquela época, com o Delegado Padilha atrás de mim aos gritos de “viado!”, eu chegava a bater o recorde dos cem metros rasos”, relatou.

CORRAM, QUEREEEDOS!Pelo andar da carruagem em breve os gays terão que se esconder nos guetos ou fugir da polícia de…

Posted by Aguinaldo Silva on Wednesday, August 21, 2019