Cairn Newton-Evans, de vinte e oito anos, contou para a BBC que foi atacado por um homem que conhecia da infância quando voltava para sua casa em novembro de 2008. Agora, o jovem ingressou na polícia para mobilizar mudanças.

O crime aconteceu no País de Gales. Cairn apanhou diversas vezes e teve sua cabeça batida contra o asfalto enquanto cruzava uma faixa de pedestres pintada como a bandeira do arco-íris em sua cidade, Ammanford.

Quando buscou as autoridades para prestar queixa contra o agressor, a polícia local apenas deu uma advertência e um sermão ao agressor, o que deixou Cairn indignado – e motivado a fazer alguma coisa. Após algum tempo de preparação, ingressou na força policial local. “Eu queria mudar as coisas de dentro” falou para a rádio.


A decisão foi apoiada por um outro policial, que também era LGBT. Atualmente, Cairn Newton-Evans é o chefe de operações da polícia local. Cairn também se reencontrou com o agressor posteriormente, que pediu perdão pela ação. O número de crimes de ódio mais que dobrou na Inglaterra no País de Gales em 2018.