Carlos Casagrande (Reprodução/TVGlobo)
Carlos Casagrande (Reprodução/TVGlobo)

Mais uma vez o futebol mostrou um ambiente extremamente machista e homofóbico. Durante o jogo entre Brasil e Argentina, que aconteceu nesta terça-feira (2), no estádio do Mineirão, a torcida do Brasil proferiu diversas palavras homofóbicas ao goleiro argentino.

Quem estava no estádio ou até mesmo o público de casa, conseguiu ouvir palavras como “bicha”, vindo da arquibancada mineira. Comentarista da partida, o ex-jogador Carlos Casagrande, não gostou nada dos gritos e criticou: “Isso não é aceitável em lugar nenhum”, que logo depois foi apoiado por Galvão Bueno.

Esta não é a primeira vez que ocorre algo do tipo em um jogo do Brasil. No primeiro jogo da Copa América, que aconteceu no dia 14 de junho, no Morumbi, gritos homofóbicos também aconteceram, o que gerou uma multa de R$ 57 mil à Confederação Brasileira de Futebol (CBF).


O punição foi uma surpresa para quem acompanha o esporte sul-americano, já que casos do tipo geralmente passam despercebido pelo Tribunal de Disciplina da Conmebol, que sempre alega que gritos homofóbicos fazem parte da cultura do futebol da região.