Com objetivo de representar todos os tipos de amores e corpos, foi lançado na última semana o primeiro banco de imagens LGBTQIA+ do Brasil. Intitulado Tem Que Ter, o projeto foi desenvolvido pelo coletivo Viva Voz.

Disponível desde o último dia 25 de julho, o projeto conta com fotos LGBTs em situações cotidianas. As imagens estão disponíveis através do site do projeto www.temqueter.org e o download é totalmente gratuito.

Criado por um grupo de estudantes de Porto Alegre, o Tem Que Ter é um dos 14 projetos contemplados com bolsa no SaferLab, iniciativa que estimula criações que são contra o discurso de ódio na internet.


“A presença LGBTQI+ na propaganda brasileira é quase nula, e as poucas manifestações que fogem do padrão heteronormativo acabam, muitas vezes, reforçando estereótipos. A gente entende que as mensagens criadas por marcas, negócios e agências de publicidade possuem impacto social, e podem ser utilizadas como ferramentas de promoção da diversidade”, diz Fernanda Sanchis, uma das criadoras do projeto.

O Tem Que Ter conta com mais de 150 imagens, todas assinadas por cinco fotógrafos distintos. As fotografias foram registradas pelas cidades de São Paulo e Porto Alegre, sempre protagonizadas por pessoas LGBTs comuns, com o objetivo de render cliques mais diversos e representativos.

Fazem parte do Coletivo Viva Voz, as estudantes Ana Maria Antunes, Fernanda Sanchis, Manoela Haase, alunas da ESPM Porto Alegre, Betina Aymone da PUCRS e Patricia Richter da UFRGS.