Queer Liberation March aconteceu no mesmo dia da Parada LGBT de New York (Reprodução/Rolling Stone)
Queer Liberation March aconteceu no mesmo dia da Parada LGBT de New York (Reprodução/Rolling Stone)

O final de Semana de Nova York não foi só marcado pela Parada do Orgulho LGBT+, mas também pela Queer Liberation March, uma manifestação alternativa com o objetivo de criticar a comercialização do movimento LGBT nos Estados Unidos.

Com a tradicional bandeira do arco-íris em punho, LGBTs e heterossexuais do mundo todo protestaram pelos direitos dos civis da comunidade com um olhar mais crítico. Eles defendiam a Parada de Nova York, no entanto, pediam que houvesse menos a participação de ‘empresas aliadas’ e que o movimento fosse mais político.

Com concentração na frente do histórico bar Stonewall Inn, os manifestantes criticavam a quantidade de artistas e trios elétricos no evento. Eles gritavam que era necessário “recuperar o espírito” da luta LGBTQIA+, que aconteceu há 50 anos na revolução de Stonewall.


“O World Pride (o evento principal) foi e continua sendo algo comercial. As pessoas acham linda a Parada do Orgulho, mas não se dão conta da realidade”, criticou Winslet à agência de notícias Efe.