Governador de Porto Rico, Ricardo Rosselló,
Governador de Porto Rico, Ricardo Rosselló (Foto: reprodução)

Milhares de pessoas exigiram na noite de segunda-feira 15 a renúncia do governador de Porto Rico, Ricardo Rosselló, depois do vazamento de um polêmico chat pela imprensa local.

Desse modo, nas mensagens trocadas através do aplicativo Telegram, Rosselló e outras 12 pessoas criticam políticos e jornalistas. E, para ilustrar essas críticas, utilizam memes e insultos de teor sexual e homofóbico. A conversa aconteceu entre dezembro de 2018 e janeiro de 2019. As informações foram reveladas na semana passada, pelo Centro de Jornalismo Investigativo (CJI) de Porto Rico, em trechos publicados no jornal El Nuevo Día.

Nesse sentido, o governador pediu desculpas pelo ato afirmando que,“o chat era usado para liberar as tensões de dias de 18 horas de trabalho (…) mas nada disso justifica as palavras que escrevi“.


Segundo Carta Capital, a polícia afastou os manifestantes com gases lacrimogêneo. Também foi registrado um incêndio do lado de fora da sede do governo na capital do país, San Juan.

Além do mais, Ricky Martin também foi alvo das menções ofensivas. Segundo ele, “são completamente repudiáveis e denotam o caráter e personalidade intolerantes, arrogantes, prepotentes, homofóbicas, machistas e violentas de cada um“. O cantor foi atacado por um funcionário do governo, que disse que “Ricky Martin é tão machista que transa com homens porque as mulheres não lhe servem. Puro patriarcado”.

Vale lembrar que as declarações do governador denotam, do ponto de vista político, uma contradição insustentável. Já que em março deste ano ele havia proibido a chamada ‘cura gay’, terapia de reversão sexual. Ainda, através de declarações, disse que se esforça para que Porto Rico seja uma sociedade mais justa e igualitária.