Doação de sangue
A norma vai entrar em vigor a partir de fevereiro de 2020 (Marcelo Camargo/Agência Brasil)

O governo da França anunciou que vai reduzir o período de meses de abstinência sexual para que pessoas LGBTs possam doar sangue. O pronunciamento foi feito nesta quarta-feira (17), pelo Ministério da Saúde francês.

O período que era de 12 meses, agora passa a ser de quatro. Segundo o ministério, a medida, que está sendo vista como “uma primeira etapa” para o alinhamento entre a comunidade LGBT+ e governo, vai entrar em vigor a partir de fevereiro de 2020.

De 1983 até 2016 foi proibido que homossexuais doassem sangue na França. Até que em 2016 foi estabelecida um decreto de liberação a partir de um ano de abstinência, o que levantou uma onda de críticas por parte de associações de homossexuais, que denunciaram discriminação.


Aqui no Brasil a mesma norma também está em vigor. Inclusive, nas últimas semanas uma campanha de doação de sangue do hemocentro de Minas Gerais, foi bastante criticada nas redes sociais. Isso porque mesmo estando com o banco de sangue em desfalque, não é permitido a doação de pessoas LGBTs.