No Brasil para divulgar o lançamento do chocante livro No Armário do Vaticano – Poder, Hipocrisia e Homossexualidade, o escritor francês, Frédéric Martel disse que o P de padre deveria ser inserido na sigla LGBTQIA+. As informações são da Folha.

O relato do também jornalista foi dado nesta quinta-feira (11), durante um evento na Casa Folha, na Feira Literária de Paraty, onde ele participou do bate papo intitulado A Igreja de Francisco e a Biologia de Darwin.

“Eu não defendo a homossexualidade a partir dos animais, mas a partir dos padres. Tem várias espécies: tem os padres, os bispos, os monsenhores. Quanto mais a gente sobe de instância, mais a gente vê essa tendência acirrada”, declarou Martel no debate.


No livro No Armário do Vaticano, Martel relata diversos casos de orgias sexuais e fetiches inusitados de padres, cardeais e bispos. Para isso ele fez uma pesquisa de quatro anos e entrevistou mais de 1500 religiosos.

Conforme o autor, as aventuras sexuais de boa parte da cúpula do Vaticano, que estima-se que, pelo menos, 80% seja homossexual, passa por sadomasoquismo, prostituição e até golden shower.