Girafas [Foto: reprodução]

Para explicar que o amor entre pessoas do mesmo sexo não é uma exclusividade dos seres racionais, o Zoo de Munique participou da semana do Orgulho LGBT. Desse modo, houve um destaque da vida íntima de todas as criaturas, grandes ou pequenas.

“Para nós, é importante falar da homossexualidade no reino animal e mostrar que o amor entre sujeitos do mesmo sexo ocorre na natureza”, afirmou o porta-voz do zoológico de Munique, Dennis Spaeth.

“Infelizmente, cada vez mais vemos mais gente na Alemanha da direita reacionária que ataca os direitos do [coletivo] LGTBQI [lésbicas, gays, transsexuais, bissexuais, queer, intersexuais]”, completou.


Já é um fato notório que vários estudos já ratificaram a homossexualidade no reino animal. Nesse contexto, o estudo faz referência a evidências de comportamentos homossexuais e bissexuais relatados. Estes comportamentos englobam namoro, afeição, parentalidade e até ato sexual entre animais do mesmo sexo.

Dentro do respectivo Zoo, a primeira Parada do tour do Orgulho LGBT foi na área das girafas. “As girafas são bissexuais. Em alguns grupos, 90% dos atos observados são, de fato, homossexuais na natureza”, explica o biólogo Günter Strauss.