O governador de Porto Rico, Ricardo Rosselló, renunciou ao cargo público nesta quarta-feira (24), após uma série de protestos causados pelo vazamento de comentários homofóbicos, machistas e contra vítimas do furacão Maria.

“Após escutar as críticas e falar com minha família, tomei a seguinte decisão com desprendimento: hoje lhes anuncio que renunciarei ao cargo de governador na sexta-feira, dia 2 de agosto, às 17h”, disse Rosselló em vídeo divulgado no Facebook.

Após o anúncio do governador, as ruas de Porto Rico foram tomadas por gritos de uma multidão, que desde muito cedo protestava a favor da renúncia, inclusive na frente de sua casa, em San Juan.


“Acredito que Porto Rico continuará unido e caminhando em frente como sempre fez. Espero que esta decisão sirva como um apelo à reconciliação cidadã“, declarou o governador.

Em outro momento, Rosselló ainda informou que será substituído temporariamente pela secretária de Justiça, Wanda Vázquez. “Assumirei a missão histórica que nos impõe a Constituição do Estado Livre Associado de Porto Rico e as leis aplicáveis”, disse ao jornal El Nuevo Día.

Nas mensagens trocadas através do aplicativo Telegram, Rosselló e outras 12 pessoas criticam políticos e jornalistas. E, para ilustrar essas críticas, utilizam memes e insultos de teor sexual e homofóbico. A conversa aconteceu entre dezembro de 2018 e janeiro de 2019.