Bandeira LGBT
Bandeira LGBT (FOTO: Reprodução)

No Mês do Orgulho LGBTQIA+, a prefeitura de São Paulo decidiu por fechar o Centro de Referência da Diversidade (CRD).O serviço atende cerca de 1.200 pessoas da comunidade LGBT no município.

Com quase 10 anos exercendo o acolhimento, escuta especializada e disponibilizando oficinas de geração de renda para travestis e transexuais, entre outros projetos sociais para pessoas LGBTs em vulnerabilidade social, o CRD é administrado pela ONG Grupo Pela Vidda SP.

De acordo com o secretário Municipal de Assistência e Desenvolvimento Social, Marcelo Del Bosco, a justificativa para o encerramento do Centro é que a Secretaria Municipal de Direitos Humanos realiza o mesmo serviço e vai incorporar algumas atividades.


O fechamento do Centro acontece logo após o prefeito Bruno Covas (PSDB), assinar um decreto que prevê o corte de gastos para serviços de ação social. A nova norma determina a renegociação de contratos, autorizando cortes e redução no serviço – estimados em R$ 240 milhões, ou 15% do valor total.

Atualmente, a cidade tem 1.265 serviços de assistência, com cerca de 220 mil vagas para crianças, adolescentes, mulheres e idosos, administrados por organizações sociais.