No twitter muitos internautas fizeram criticas as polícia de Detroit (Reprodução/Twitter)
No twitter muitos internautas fizeram criticas as polícia de Detroit (Reprodução/Twitter)

Um grupo de homens neonazistas invadiram a Motor City Pride, Parada LGBTQ+ da cidade Detroit, no último sábado (8), nos Estados Unidos. Uniformizados e com bandeiras cheias de símbolos nazistas, o grupo fazia um “protesto” contra o movimento LGBT.

Após a presença inesperada do grupo nazista, a polícia apareceu e fez uma espécie de escolta aos homens, o que gerou uma revolta nas pessoas que estavam participando do evento. No twitter, algumas pessoas criticaram a postura da polícia.

“Hoje, no Motor City Pride, um evento amistoso LGBT +, o detetive de Detroit escoltou os nazistas de uniforme completo do lado de fora da entrada do festival”, afirmou um usuário do Twitter. “Detroit PD machucou aqueles que tentaram intervir e permitiu que isso acontecesse”, acrescentou.


Revoltados com a escolta que a polícia estava fazendo, algumas pessoas começaram a gritar: “nossa polícia deveria estar nos protegendo” e “como eles são protegidos e nós não somos”. Outras pessoas gritava: “quem você protege, quem você serve”.

De acordo com o site Pink News, a invasão ao Motor City Pride já estava prevista há semanas. Registro da rede social russa, VK, mostram que um homem, identificado como Burt Colucci, havia publicado mensagens contra o evento.

“NSM, vamos colocar algumas botas no chão !! Eu realmente não dou a mínima para op-sec ou Antifa nesta situação. Nós entramos com a Swastikas em chamas e, se as pessoas não gostarem, é difícil … ”

O Estados Unidos tem um grande histórico relacionados a grupos neonazistas. Um caso inusitado aconteceu no final do ano passado, com a ex-participante de RuPaul Drag Race, Morghan McMichael. A artista quebrou a mão após enfrentar um neo-nazista.