Leandro Prior e Elton da Silva (Reprodução/Instagram/SBT)
Leandro Prior e Elton da Silva (Reprodução/Instagram/SBT)

Um policial militar foi vetado de usar a farda da companhia para pedir seu namorado em casamento, durante a tradicional Parada do Orgulho LGBT no próximo domingo (23), em São Paulo.

Mesmo sendo uma prática comum entre os oficiais heterossexuais, a corporação negou o pedido do soldado Leandro Prior, de 28 anos, alegando que o regulamento da instituição não prevê o uso do fardamento de agentes da PM de folga em “manifestações”.

Por meio de nota enviada ao site G1 na noite de quarta-feira (19), a Secretaria da Segurança Pública (SSP) ainda alegou que “não faz distinção de pessoa por sua orientação sexual ou identidade de gênero, incluindo os mais de 80 mil policiais militares de São Paulo”.


Para quem não lembra, Leandro ficou conhecido no ano passado após ser flagrado beijando outro homem, no metrô de São Paulo. No momento o policial estava usando farda da corporação e isso causou uma enorme polêmica nas redes sociais.

Em uma carta enviada a Polícia Militar do Estado de São Paulo, Leandro afirma que “passou e sofreu por homofobia institucionalmente” e, que diante disso, “viu como relevante importância social e excelente oportunidade a instituição para ela evidenciar e acenar à sociedade paulista e brasileira que não compactua com a homofobia”.