O espaço pode abrigar até seis pessoas (Foto: Divulgação/Susepe)
O espaço pode abrigar até seis pessoas (Foto: Divulgação/Susepe)

Foi inaugurada nesta quarta-feira (26), a primeira cela para LGBTs do Rio Grande do Sul. O espaço faz parte da Penitenciária do Rio Grande (PERG) e tem capacidade para seis detentos. Também nesta quarta, o ministro Luís Roberto Barroso decidiu que pessoas trans devem cumprir penas em presídios femininos.

A iniciativa só foi possível, por conta de uma parceria entre a administração da penitenciária e a Comissão Especial da Diversidade Sexual e Gênero da Ordem dos Advogados do Brasil (OAB), que enxergou algumas dificuldades enfrentadas pela população LGBT+ encarcerada.

Conforme informações do site Correio do Povo, haviam muitos relatos de LGBTs que sofriam com brigas, violência física e sexual. Além de que as mulheres trans estavam mais vulneráveis, por não serem aceitas.


A cela conta com três beliches e, conforme a administração da prisão, não há privilégios. Para os detentos interessados em serem transferidos para a cela especial, é necessário que ele passe por entrevistas com uma psicóloga e com a assistente social e também ter decisão favorável da justiça.