Parada LGBT de São Paulo (Reprodução Internet)
Parada LGBT de São Paulo (Reprodução Internet)

Uma pesquisa divulgada pela Rede Nossa SP, em parceria com o Ibope, mostrou que a maioria dos moradores da cidade de São Paulo concordam com a criação de uma lei para criminalizar a LGBTfobia.

Conforme a pesquisa, 55% dos entrevistados concordam com a decisão do Supremo Tribunal Federal (STF), de criminalizar a homofobia e a transfobia; e outros 22%, são contra. As pessoas que não sabem ou não responderam à pergunta, ficaram com 23%.

Entre a maioria dos que se declararam a favor das leis pró-diversidade, 60% são mulheres, 66% mais jovens, 61% brancos, 60% pertencem à classe B e têm renda familiar acima de 5 salários mínimos. Já as pessoas que são contra às leis, 27% são homens e 27% possuem entre 35 e 44 anos.


A pesquisa ainda identifica que os moradores da Zona Oeste são os mais favoráveis à criminalização da LGBTfobia. Já os moradores da região Norte são os mais contrários. Além disso, os entrevistados que não se importam com as notícias e com os direitos dos LGBTs, se mostraram mais contrários à aprovação da lei: cerca de 4 entre 10.