Geferson Ribeiro de Souza e Daniemerson Brito da Silva (Foto: Arquivo pessoal/ Geferson Ribeiro de Souza)
Geferson Ribeiro de Souza e Daniemerson Brito da Silva (Foto: Arquivo pessoal/ Geferson Ribeiro de Souza)

Um casal gay perdeu um processo na Justiça do Trabalho de Goiás, após alegar que havia sido demitido por consumarem o casamento no civil. Os dois rapazes, que trabalhavam na mesma empresa, pediram R$ 400 mil de indenização.

De acordo com Geferson Ribeiro de Souza e Daniemerson Brito da Silva, a empresa WB Componentes demitiu os dois logo após voltarem da licença casamento, com a afirmação de que o desligamento seria por conta da orientação sexual deles. Além disso, o casal contou que era vítima de várias piadas de cunho homofóbico no ambiente de trabalho.

Procurado para ser ouvido sobre a decisão, o advogado do casal preferiu não se pronunciar. Já o advogado Tabajara Póvoa, representante da empresa, disse que a decisão da justiça mostrou que de fato as acusações dos ex-funcionários eram infundadas e que não houve preconceito.


“Foi muito justa em relação a todas a provas, até porque não houve qualquer espécie de demissão preconceituosa. Até porque, na própria [petição] inicial dos reclamantes, eles relatam que a empresa sabia que eles eram namorados e homossexuais. Se tenho um preconceito, eu não os contrataria”, afirmou o advogado ao G1 Goiás.

Ainda conforme a empresa, o casal queria “se enriquecer sem nenhum esforço”, já que um dos patrões foi convidado para ser padrinho do casal. Além disso, a demissão teria na verdade a ver com “ano difícil para a economia brasileira, marcado por desemprego e crise”.