Samira Close (Reprodução/Instagram)
Samira Close (Reprodução/Instagram)

A drag queen gamer, Samira Close, foi vítima de homofobia e ameaçada de morte por um homem, que se identificou como policial, durante uma partida do jogo Free Fire nesta terça-feira (18). Todo os detalhes foram exibidos durante uma live do Facebook.

O caso aconteceu quando Samira, com seu humor característico, inicia a partida brincado com os participantes do jogo online e dizendo que gostaria de beijar um deles. Após falar algumas palavras mais ‘ousadas’, o homem manda ela “calar a boca” e ficar quieta, porque a filha de oito anos estava do seu lado.

Inconformada com a revolta do rapaz, Samira responde que o jogo e o horário não permitem que crianças estejam presentes, e que isso é apenas uma responsabilidade dos pais da criança.


Em determinado momento, o homem chega a dizer que não é homofóbico, mas que se encontrasse algum homossexual igual a Samira pela frente, ele mataria. “Se todo viado fosse igual a você, eu seria homofóbico. Eu matava!”, disse ele, que logo em seguida informa que vai rastrear os dados da drag queen, que lançou seu primeiro single em abril.

Sem se abalar, Samira informa que não fez nada de errado e que, inclusive, é patrocinada pelo criador do jogo online. “Eu to cagando para você! Você acabou de dizer que vai matar um monte de viado. Você realmente é policial. Não sei nem o que você está fazendo da sua vida, 1h17 um policial jogando Free Fire, querendo dar lição de moral de madrugada em um monte de gente jogando um jogo online, em um celular mobile. Se eu fosse você eu teria vergonha de dar essa lição de moral. Porque você está passando vergonha”, declarou a artista gamer.