Passeata em Varsóvia teve apoio do prefeito da cidade.
Passeata em Varsóvia teve apoio do prefeito da cidade. (Foto: reprodução)

Quase 50 mil pessoas protestam após liderança política da Polônia etiquetar movimento LGBTI+ como “ameaça à cultura e à família”. O Ministro da Educação do país afirmou ainda que educação sexual em escolas é “tentativa de aliciar crianças para pedófilos”.

Dito isso, dezenas de pessoas foram às ruas neste sábado (08/06), na Varsóvia. O intento da manifestação era protestar contra uma ameaça de uma campanha de governo ultraconservador. Assim, as pautas LGBT+, para a agenda nacionalista, são consideradas um atentado à família e ao tradicionalismo. A prefeitura informou que cerca de 47 mil pessoas participaram do evento.

Diplomatas de Estados Unidos, Canadá e outros países ocidentais, também demonstraram apoio. Aliás, já é uma tradição explicitar o apoio a uma comunidade que vê ameaçados seus direitos em cada vez mais países ao redor do mundo.


A manifestação também teve aval do prefeito. “Nem todo mundo tem obrigação de ir à Parada da Igualdade, mas todos deveriam respeitar os direitos das minorias”, afirmou Trzaskowski diante da multidão. “É realmente importante para mim que Varsóvia seja uma cidade aberta, que Varsóvia seja tolerante.” Disse Rafal Trzaskowski, prefeito da capital polonesa.