Glenn Greenwald (Reprodução/Youtube)
Glenn Greenwald (Reprodução/Youtube)

Após o site The Intercept publicar uma série de reportagens mostrando a clara cumplicidade e relação entre o promotores do Ministério Público Federal e o, então, juiz Sérgio Moro, o jornalista Glenn Greenwald, que é casado e tem dois filhos com do deputado David Miranda (Psol), tem recebido inúmeros ataques.

Nesta semana o ex-assessor do MEC, Silvio Grimaldi, foi uma das personalidades a atacar o jornalista. No entanto, diferente de alguns comentários, Grimaldi foi bastante homofóbico: “A única coisa positiva na matéria do Intercept é o HIV”, escreveu ele no Twitter.

Após o comentário, Glenn Greenwald, que é editor e fundador do site, usou sua rede social para responder o ato LGBTfóbico: “Silvio Grimaldo, que até recentemente era um alto funcionário do Ministério da Educação de Bolsonaro, disse isso em resposta às explosivas revelações que publicamos sobre o Ministro da Justiça de Bolsonaro: ‘a única coisa positiva sobre o Intercept é o HIV’. Iremos explicar em um vídeo em inglês um pouco sobre o terremoto político que abalou o Brasil e o governo de Bolsonaro como resultado das reportagens que fizemos esta semana (e continuaremos fazendo) com base em um enorme arquivo de documentos (anteriormente) secretos”, escreveu.


Desde a semana passada, The Intercept tem feito uma série de matérias sobre a relação do atual ministro da Justiça, com o julgamento de alguns casos da Lava Jato, principalmente na ação do ex-presidente Lula. De acordo com Greenwald, ainda existem alguns áudios a serem liberados.