Diego Hypólito (Reprodução/Instagram)
Diego Hypólito (Reprodução/Instagram)

Como todos sabem, Diego Hypolito assumiu sua homossexualidade oficialmente para o público. Desse modo, após a comoção, está tendo que lidar com situações explícitas de preconceito. Assim, em entrevistas aos jornalistas do ESPN, discorreu sobre a repercussão de sua revelação.

“A partir do momento que falei da sexualidade, acho que mudou que várias pessoas demonstraram ódio, mas teve muito apoio também. Eu vou ao culto toda quinta-feira, e a Bíblia diz que os homossexuais não herdarão o reino dos céus. Eu acredito que temos que considerar o que está escrito nas escrituras, mas também não acredito que seja assim, se eu amo Jesus, se eu falo isso para as pessoas, eu só desejo o bem dos outros”.

“Eu considero que eu não tenho total entendimento sobre a homossexualidade. Mas esse sou eu. Se daqui a alguns anos eu mudar de opinião, eu vou falar. Mas eu não me considero um demônio, como por muitos anos me falaram.”, declarou Diego.


“Os atletas mais velhos faziam uma espécie de trote com o consentimento de alguns treinadores. Alguns não sabiam, mas a maioria sabia, sim. Eles prendiam a gente em um quarto, e a gente tinha medo, e a gente tinha que ficar nu. Dois atletas tinham que competir, pegando uma pilha com o ânus e levá-la, sem usar as mãos dentro de um tênis”.

“Um tinha que vencer ou os dois apanhavam. E eu tive um ataque epilético quando isso aconteceu. E isso foi algo que andou comigo a vida inteira. Quando voltei pro RJ, ainda me fizeram tirar fotos nu, mas os treinadores viram e fizeram os outros apagar. E quando você passa essas coisas, você acha que tem culpa. Eu achava que tinha culpa por essas coisas”.