Jair Bolsonaro
O Presidente Jair Bolsonaro (Foto: reprodução)

Em entrevista coletiva na Cúpula do G20, no Japão, neste sábado (29), Bolsonaro comentou abertamente sobre o caso do sargento da Força Aérea (FAB) encontrado com 39 quilos de cocaína.

“Aquele elemento traiu a confiança. Pena que não foi na Indonésia, para ter o mesmo destino que o Archer teve no passado”, afirmou, referenciando o brasileiro Marcelo Archer, executado por fuzilamento na Indonésia em 2015.

Mais adiante, na coletiva, por ser sempre etiquetado de machista e ditador, ele foi perguntado sobre como seria sua participação no painel G20, a respeito do poder feminino, outra narrativa vigente. Nesse contexto, o Presidente enfatizou que ‘ama as mulheres’, e que, na sua casa, quem manda é a esposa. “Ninguém manda mais na minha casa que a minha esposa. Nos gestos e palavras. Sem problema nenhum, eu sou apaixonado por vocês”.


Ademais, voltou a falar de homossexualidade. Ele afirmou que respeita o ‘comportamento homossexual’, mas que só homem e mulher têm filhos e que não existe um “terceiro sexo”.

“Mesmo os homossexuais nasceram de uma mulher. Por enquanto, não sei que conseguiram engravidar homem. Não tem um terceiro sexo. Tem que respeitar isso daí. Mas nós respeitamos quem tem esse comportamento”, disse.