PM Leandro Prior (Reprodução/SBT)
PM Leandro Prior (Reprodução/SBT)

Contrariando as normas da corporação, o Polícial Militar, Leandro Prior, pediu o namorado em casamento neste domingo (23), vestindo a farda da corporação e o fato não agradou muitas pessoas.

Nesta segunda-feira (24) Leandro apresentou à Corregedorida da Polícia Militar de São Paulo uma denúncia de que estaria sendo alvo de ameaças de morte e sofrendo crime de racismo.

De acordo com o site Universa, uma das mensagens que Leandro recebeu foi de uma policial reformado, que haveria trabalhado na 39º Batalhão da Capital. Por meio do Facebook, o homem usou de palavras pejorativas e afirmou que iria “caçar” Leandro.


“Bichona filha da put* pede baixa [ou seja, pede exoneração] seu viadão do caralh*, vou te caçar atrás te catar te encontrar e vou te quebrar todo seu viado do caralh* (sic)”, diz a mensagem, que enfatiza a Prior que ele não vai “desonrar a minha gloriosa PMSP [Polícia Militar do Estado de São Paulo].” Em tom direto, finaliza: “VOU TE CAÇAR E TE ENSINAR A VIRAR HOMEM NA PORRADA”.

O Universa também teve acesso a outras mensagens que circularam em grupos de WhatsApp de policiais desde domingo, após o pedido de casamento ser consumado. Em áudios, por exemplo, supostos policiais afirmam que Prior estaria “ofendendo a dignidade” da classe “e a instituição“, enquanto “mártires estão na rua caçando ladrão, prendendo, trocando tiro”.

Para quem não lembra, Leandro ficou conhecido no ano passado após ser flagrado beijando outro homem, no metrô de São Paulo. No momento o policial estava usando farda da corporação e isso causou uma enorme polêmica nas redes sociais.