PM Leandro Prior (Reprodução/SBT)
PM Leandro Prior (Reprodução/SBT)

Contrariando as normas da corporação, o Polícial Militar, Leandro Prior, pediu o namorado em casamento neste domingo (23), vestindo a farda da corporação e o fato não agradou muitas pessoas.

Nesta segunda-feira (24) Leandro apresentou à Corregedorida da Polícia Militar de São Paulo uma denúncia de que estaria sendo alvo de ameaças de morte e sofrendo crime de racismo.

De acordo com o site Universa, uma das mensagens que Leandro recebeu foi de uma policial reformado, que haveria trabalhado na 39º Batalhão da Capital. Por meio do Facebook, o homem usou de palavras pejorativas e afirmou que iria “caçar” Leandro.


“Bichona filha da put* pede baixa [ou seja, pede exoneração] seu viadão do caralh*, vou te caçar atrás te catar te encontrar e vou te quebrar todo seu viado do caralh* (sic)”, diz a mensagem, que enfatiza a Prior que ele não vai “desonrar a minha gloriosa PMSP [Polícia Militar do Estado de São Paulo].” Em tom direto, finaliza: “VOU TE CAÇAR E TE ENSINAR A VIRAR HOMEM NA PORRADA”.

O Universa também teve acesso a outras mensagens que circularam em grupos de WhatsApp de policiais desde domingo, após o pedido de casamento ser consumado. Em áudios, por exemplo, supostos policiais afirmam que Prior estaria “ofendendo a dignidade” da classe “e a instituição“, enquanto “mártires estão na rua caçando ladrão, prendendo, trocando tiro”.

Para quem não lembra, Leandro ficou conhecido no ano passado, após ser flagrado beijando o namoradoElton da Silva Luiz, de 26, no metrô de São Paulo. No momento o rapaz estava usando a farda da empresa e isso causou uma enorme polêmica.