Escolas, local de trabalho e igreja estão entre os lugares onde ocorrem as agressões (Foto Ilustratiava)
Escolas, local de trabalho e igreja estão entre os lugares onde ocorrem as agressões (Foto Ilustratiava)

Após lançar o aplicativo ‘TODX app’ indicado para fazer denuncias de LGBTfobia -, a organização TODXS fez uma análise e constatou que mais de 90% de seus usuários não registram boletim de ocorrência após sofrerem as agressões.

Conforme a pesquisa, dos 161 casos de violência registradas no aplicativo, apenas 11 pessoas assinalaram que prestaram queixa referente à denúncia reportada ao aplicativo – ou seja, 92,3% das pessoas denunciantes não reportaram o caso aos órgãos públicos competentes.

“Os resultados obtidos, ainda que não generalizáveis, ajudam a dar certos direcionamentos de olhar na construção de políticas, públicas e privadas, de prevenção à violência e à discriminação LGBTIfóbica”, consta no documento.


O exame ainda mostra que 54,1% que acontecem as denúncias foram em estabelecimentos fechados, como lojas, shopping centers, mercados, escolas, local de trabalho e igreja; 23,6% dos casos foram registrados em lugares onde as pessoas estavam mais vulneráveis, como locais abertos, via pública, avenidas e praças.

Seguindo os mesmos passos da TODXS, uma pesquisa encomendada pela organização de mídia Gênero e Número e financiada pela Fundação Ford, registrou que logo após a eleição, mais de 50% dos LGBTs já sofreram algum tipo de violência.

Para acessar a pesquisa, é só aqui.