Campanha do Banco do Brasil vetada por Bolsonaro (Reprodução/Youtube)
Campanha do Banco do Brasil vetada por Bolsonaro (Reprodução/Youtube)

A União pode ser condenada a pagar R$ 51 milhões após o presidente Jair Bolsonaro (PSL) solicitar a retirada do ar da propaganda do Banco do Brasil. A peça trazia atores negros, brancos, trans e gays e fazia referencia a diversidade racial e sexual.

De acordo com a revista Exame, o Ministério Público Federal (MPF) do Rio Grande do Sul, entrou com uma ação civil pública contra a União, por “ilegal veto (censura) imposto à peça publicitária do Banco do Brasil denominada ‘Selfie'”, diz o texto.

Na ação, o MPF solicita que a propaganda volte a ser veiculada em larga escala e que a União pague R$ 51 milhões por dano moral coletivo. Este valor equivale ao triplo do custo da propaganda.


O “montante deverá ser aplicado em campanha de conscientização de enfrentamento ao racismo e à homofobia”, diz a ação assinada pelo procurador da República Enrico Rodrigues de Freitas.