Senador Brad Hoylman, seu esposo David Signal e sua filha Silvia (Pew Charitable Trusts /TNS)
Senador Brad Hoylman, seu esposo David Signal e sua filha Silvia (Pew Charitable Trusts /TNS)

O senador democrata, Brad Hoylman, publicou nesta quarta-feira (1º), um abaixo-assinado pedindo o cancelamento do ‘Jantar de Gala Personalidade do Ano’, promovido pela Câmara de Comércio de Nova Iorque, em homenagem ao presidente brasileiro, Jair Bolsonaro.

Publicado em pouco mais de 12h, o abaixo-assinado contra o jantar, que está marcado para o próximo dia 14, já conta com mais de dois mil assinaturas. E essa não é a primeira vez que o presidente brasileiro tem recebido críticas de estrangeiros. Diversos artistas e jornais de outros países já divulgaram notas de repúdio ao político.

Na manhã desta quinta-feira (2), o assuntou entrou nos TT’s do twitter e Hoylman aproveitou o momento para fazer duras críticas aos organizadores da festa e relembrar algumas declarações de Bolsonaro sobre ter um filho gay .


“Jair Bolsonaro é um homofóbico notório que uma vez disse que preferia seu filho morrer do que ser um homem gay. @Marriott quer sediar um evento homenageando-o como homem do ano. Isso é inaceitável. Inscreva-se e Junte-se a mim para dizer ao Marriott #CancelBolsonaro”, escreveu o senador .

No documento divulgado por Hoylman, diversos fatos ligados a Bolsonaro são reunidos para justificar o cancelamento do evento: “O presidente Bolsonaro tem um histórico extremamente perturbador de intolerância, misoginia, racismo e xenofobia. Entre outras coisas, ele disse uma vez que “seria incapaz de amar um filho homossexual” e que preferiria que seu filho morresse a ser gay. Além disso, o presidente Bolsonaro disse uma vez que uma deputada brasileira “não vale a pena ser estuprada” porque “ela é muito feia”.