A concentração vai começar a partir das 11h, na Praça da Estação (Ilustrativa)
A concentração vai começar a partir das 11h, na Praça da Estação (Ilustrativa)

O rabino-chefe de Jerusalém, Aryeh Stern, solicitou ao prefeito da cidade, Moshe Lion, para que fosse proibido o uso de bandeiras de arco-íris durante a Parada LGBT de Jerusalém.

De acordo com o site Pink News, através de uma carta aberta, enviada ao prefeito nesta segunda-feira (27), o rabino pediu: “Sei do ponto de vista da lei que o prefeito não tem capacidade de impedir o desfile e, portanto, peço que pelo menos decida que as bandeiras não sejam sacudidas, pois elas tornam a cidade feia”, disse Stern. escreveu.

Stern continuou: “Eu confio em você para agir com sabedoria para remover essa desgraça de nós, especialmente agora nestes dias sagrados entre o Dia de Jerusalém e Shavuot”, dizia a carta.


Apesar de transparecer um lugar bastante conservador. A prefeitura da cidade enviou um comunicado a imprensa informando que as bandeiras seriam permitidas ao longo do percurso da parada, do mesmo jeito que ocorreu nos últimos anos.

No ano passado a Parada LGBT de Jerusalém também virou destaque mundial. A festa política teve que contar com um reforço policial, após já ter histórico de ataques homofóbicos aos manifestantes.