Pabllo Vittar
A cantora Pabllo Vittar (Foto: Reprodução/Instagram)

Pabllo Vittar que, recentemente bateu mais um recorde em sua carreira ao se tornar o maior lançamento da publicação Gay Times, concedeu uma entrevista ao BBC News Brasil. Na entrevista, Pabllo falou sobre sua carreira, discorreu sobre a política dentro de suas canções, e aproveitou para contestar uma recente declaração de Bolsonaro.

Sobre carreira internacional, a drag revelou o desejo de gravar canções em inglês, mas com algumas ressalvas.“É uma vontade gravar em inglês e espanhol. Mas não me vejo lançando um álbum inteiro em inglês jamais”.

Sobre sua canção e a política ela cita sua diva Beyoncé. Para Pabllo, estar no palco como drag em um país tão atroz com LGBTs já é um ato político. “Antes da Beyoncé fazer essas músicas politizadas, ela lançou muito álbum ‘farofada’ (divertido, pop) para as gatas. Por enquanto, eu quero diversão. E meu ato político é estar no palco sendo drag, resistindo, sendo afeminada no país que mais mata LGBTQs no mundo. Isso é um ato político”.


Ademais, quando questionada sobre a controversa declaração de Bolsonaro, que disse que o Brasil “não pode ficar conhecido como paraíso do mundo gay”, ela enfatiza.”O atual presidente disse que não quer que o Brasil vire um paraíso gay, mas, baby, ele chegou atrasado, porque o Brasil é paraíso gay muito antes de eu nascer.”