O ministro Ricardo Lewandowski, do Supremo Tribunal Federal (STF),
O ministro Ricardo Lewandowski, do Supremo Tribunal Federal (STF) (Foto: reprodução)

As chamadas fake news deram o que falar no período eleitoral. Cada um querendo defender o seu e as notícias falsas repercutindo velozmente. Dessa maneira, O ministro do STF Ricardo Lewandowski, ratificou novamente este fenômeno afirmando que, houve uma divulgação “absolutamente incontrolável de fake news durante o período das eleições em 2018”. 

“Tivemos também o caso do kit gay, que foi amplamente divulgado, que o Ministério da Educação no Brasil teria disseminado nas escolas brasileiras um kit gay. O ministro da Educação teve que vir a público desmentir aquilo que era obviamente, a meu ver pelo menos, inverossímil”, citou. “Tivemos o caso da Marielle Franco, vereadora do Rio de Janeiro brutalmente assassinada, que de repente foi acusada de estar envolvida com o tráfico de drogas”.

Em relação a medidas combativas para evitar a propagação de notícias falsas, o Ministro enfatizou que a Justiça Eleitoral e o Poder Judiciário, deveriam ter instrumentos eficazes para combatê-las. “Nós da Justiça Eleitoral e do Poder Judiciário deveríamos ter instrumentos para neutralizar a influência nefasta e negativa das fake news.”


“Se a Justiça Eleitoral não estiver à altura de cumprir esse dever, é melhor fechar as portas e entregar a chave dos tribunais eleitorais aos partidos políticos”, disse. As falas do Ministro são do Agência Brasil.

É propício citar também que o ‘kit gay’, mesmo sendo uma ideia que flerta com a fantasia, acabou virando verdade e ganhou uma dimensão imensurável. Desse modo,
até o empresário e marqueteiro político, André Torretta, afirma que foi uma das maiores invenções não publicitária dos últimos tempos no Brasil.