Deputado Federal Jair Bolsonaro
Jair Bolsonaro (Foto: Divulgação)

Parece que a fama do presidente Jair Bolsonaro (PSL), não está nada boa nos Estados Unidos. Após o brasileiro ser alvo de um abaixo-assinado para cancelar um jantar que o homenageia, empresas e órgãos norte-americanos cancelaram o patrocínio ao evento. Marcado para o próximo dia 14, Bolsonaro vai receber o prêmio “Pessoa do Ano”.

Uma das empresas a cancelar o auxílio foi o jornal Financial Times. Em entrevista ao The Guardian, um porta-voz do jornal confirmou o cancelamento, mas admitiu que a empresa pretende “manter uma parceria com a Câmara de Comércio Brasil-EUA”, em outros eventos.

A companhia aérea americana, Delta, também foi uma das empresas a desistir de apoiar o evento. Em seguida, a consultoria Bain & Company, seguiu o mesmo caminho. “Encorajar e celebrar a diversidade é um valor central para a Bain”, disse a nota.


Além das empresas, o prefeito de Nova York também se posicionou sobre a presença do político brasileiro na cidade e parabenizou o Museu de História Natural, por ter rejeitado a abertura dos salões para o evento, que é realizado há anos no local.

“Bolsonaro é um homem perigoso. Seu racismo evidente, sua homofobia e decisões destrutivas terão um impacto devastador no futuro do nosso planeta. Em nome de nossa cidade, obrigado Museu de Nova York por cancelar este evento”, escreveu Blasio no Twitter.