Adèle Haenel e Noémie Merlant em cena de
Adèle Haenel e Noémie Merlant em cena de "Portrait de la jeune fille en feu" (2019) (reprodução)

A diretora francesa Céline Sciamma venceu hoje a Queer Palm, premiação de Cannes para o melhor filme LGBT. Logrou-se com o “Portrait de la Ieune Fille en Feu”. O longa é protagonizado por Noémie Merlant e Adèle Haenel.

A história, narra um período bem remoto, século 18. Dessa maneira, a história versa os contratempos do amor impossível entre duas mulheres na Bretanha.
“Não é só uma história lésbica, mas, acima de tudo, um grande filme”, disse em comunicado o júri da 10ª edição da Queer Palm, que foi presidido pela atriz francesa Virginie Ledoyen.

Segundo o Uol, este prêmio independente é entregue um dia antes do encerramento do Festival de Cannes e destina 15 mil euros (R$ 65,812) para o vencedor da categoria longa-metragem e 3 mil euros (R$ 14.478) para o vencedor entre os curtas.


Vale frisar também que, fica perceptível os obstáculos que uma mulher enfrenta por ser lésbica, sobretudo experienciado em uma época tão remota. Nesse mesmo sentido, HBO também retratou a vida de Anne Lister, que entrou para história como a primeira lésbica moderna.