Em 2018 a SSP registrou o mesmo número de homicídios (Reprodução/Agência Brasil)
Em 2018 a SSP registrou o mesmo número de homicídios (Reprodução/Agência Brasil)

O Distrito Federal registrou, de janeiro a final de abril, cerca de 31 ocorrências envolvendo preconceito ou injúria contra pessoas LGBTQ+. Os dados foram divulgados pela Secretaria de Segurança Pública do estado.

Apesar da quantidade de casos, este é o mesmo número de registros feito na mesma época, no ano passado. No entanto, há de se levar em conta, que em relação a 2017, houve uma queda de 10 mortes. Na época, o total foi de 41 homicídios.

Na semana passada, uma pesquisa realizada pelo Grupo Gay da Bahia (GGB), constatou que de janeiro a 15 de maio deste ano, o Brasil registrou 141 mortes de pessoas por LGBTfobia. O número representa, em média, uma morte a cada 23 horas.


Esta notícia chega na mesma semana onde o Supremo Tribunal Federal (STF) vai retornar o julgamento sobre a criminalização da LGBTfobia no Brasil. Caso exista um parecer favorável, a descriminalização ainda vai ter que passar por votação na Câmara Federal e no Senado.