Ciro Gomes
Ciro Gomes (Foto: reprodução)

Derrotado nas eleições presidenciais, mas com um número expressivo, Ciro Gomes segue fazendo política. Ciro sempre destacou-se por uma linguagem eloquente e por análises controversas em relação ao cenário político. Para os admiradores, ele é sempre assertivo e pontual, outros já acreditam que ele usa um vocabulário tecnicista para confundir e enrolar.

O fato é que as declarações polêmicas permanecem. Em vídeo divulgado nas redes sociais, Ciro Gomes (PDT), voltou a fazer duras críticas a Jair Bolsonaro. “Para a gente entender o Bolsonaro, a gente tem que entender a psicologia de um homem quase doente”.

O Bolsonaro tem ódio ao estamento militar, paixão, mas ele foi expulso dali. Ele quebrou a hierarquia, falou contra seus superiores e está estabelecendo uma espécie de vindita. Por que o Bolsonaro tem esse ódio anti-intelectual? É porque ele é curto. A capacidade de raciocínio abstrato dele, ele é quase um burro, quase um jumento, um cara imbecil mesmo. E aí, ele tem ódio dos letrados, tem horror a isso”, afirmou.


E finda enfatizando que as citações com pênis podem estar relacionadas a um problema com armários: “E essa coisa do gay, piada com o tamanho do pênis dos orientais, ele não tira isso da cabeça. Isso tudo é um problema de armário”.