Presidente Jair Bolsonaro (PSL) (Reprodução/EBC)
Presidente Jair Bolsonaro (PSL) (Reprodução/EBC)

O presidente Jair Bolsonaro (PSL) assinou um decreto da criação do Plano Nacional de Turismo de 2018 a 2022 e retirou o incentivo ao turismo LGBT do documento. A notícia foi publicada no Diário da União desta quarta-feira (15).

No plano, que originalmente foi elaborado no governo do ex-presidente Michel Temer, era destacado a importância da diversidade no turismo brasileiros. O documento ainda deixava claro que o objetivo era “sensibilizar o setor para a inclusão das pessoas idosas e do público LGBT no turismo”.

Agora no governo de Bolsonaro, o texto original foi alterado e apenas existe o item “sensibilizar o setor de turismo para a inclusão das pessoas idosas”, retirando as menções ao público LGBT.


No plano original, que ainda se encontra no site do ministério, explicava a importância de fomentar o nicho LGBT, já que ela representa cerca de 10% dos viajantes do mundo e chega a movimentar 15% do faturamento do setor.

“Essa visão traz, para além dos benefícios econômicos, benefícios sociais que se expressam tanto para os destinos como para os viajantes LGBT. O destino pode associar sua imagem à tolerância, inclusão e diversidade e o turista LGBT tem sua experiência melhorada em um ambiente amigável e preparado para recebê-lo livre de preconceito”, dizia o texto.

No último mês o presidente já dava indícios de que não iria incentivar o turismo LGBT no Brasil. Durante uma entrevista para jornalistas, o presidente disse que Brasil “não pode ser um país do mundo gay, do turismo gay”.