Campanha publicitária da OAB-AL (Reprodução/Instagram)
Campanha publicitária da OAB-AL (Reprodução/Instagram)

Após o presidente Jair Bolsonaro (PSL) declarar que turistas podem vir ao Brasil para fazer sexo com as mulheres brasileiras, órgãos alagoanos começam a produzir campanhas contra o turismo sexual.

Umas das campanhas que rebatem a fala do presidente, é a da Ordem dos Advogados do Brasil (OAB) de Alagoas. Na peça publicitária, o órgão deixa claro que estado é rico culturalmente e não pode ser lembrado pelo turismo sexual.

“O litoral, a culinária, o folclore e o artesanato são atrações turísticas de Alagoas, as mulheres NÃO!”, diz o texto da campanha publicitária da OAB-AL, que vem seguido da seguinte legenda: “A OAB-AL repudia todo e qualquer incentivo ao turismo sexual. Diga não à exploração! Denuncie! Disque 100”.


Já nas publicações da Secretaria Estadual de Desenvolvimento Econômico e Turismo de Alagoas (Sedetur), a mensagem compartilhada é: “Alagoas está à disposição dos turistas, a mulher alagoana, não!”.

Em uma publicação no Instagram, o governador de Alagoas, Renan Filho, fez questão de reafirmar a postura do estado quanto ao turismo sexual. “Alagoas tem lugares incríveis para se visitar e o nosso estado está preparado e de braços abertos para receber bem o turista, daquele jeitinho típico do alagoano: prestativo e com sorriso no rosto. Esse é o Turismo que queremos. Turismo sexual, não! Respeito à nossa gente, a nossas mulheres, esse é nosso princípio condutor”, escreveu.