Jean Wyllys e o vice-presidente General Hamilton Mourão
Jean Wyllys e o vice-presidente General Hamilton Mourão (Foto: Reprodução)

O vice-presidente General Hamilton Mourão afirmou na terça-feira (09), que o ex-deputado federal Jean Wyllys deveria ter ficado no país. A declaração foi dada durante um evento em Washington, organizado pelo Brazil Institute. A organização que tem por fim a busca de questões de interesse bilaterais entre o Brasil e os Estados Unidos.

“Nosso governo não tem política para perseguir minorias, esse não é o jeito que nos comportamos”, afirmou ele. “Todo mundo que é brasileiro deve continuar no Brasil e de estar livre de medo. No caso de Wyllys, particularmente acho que ele deveria ter continuado e acreditar na nossa lei, política e polícia. Poderíamos protege-lo.”

Em janeiro, Jean Wyllys desistiu de assumir seu terceiro mandato na Câmara e se exilar, a fim de proteger sua vida contra possíveis ameaças que estaria sofrendo. “Preservar a vida ameaçada é também uma estratégia da luta por dias melhores”, afirmou o parlamentar ao divulgar sua decisão.


Vale ressaltar que Jean, foi o primeiro parlamentar assumidamente gay, a se dedicar na defesa da causa LGBT no Congresso Nacional, assim criando uma série de desafetos.     

O ex-deputado federal pelo Rio de Janeiro, mora atualmente na Alemanha, após recusar o convite de asilo político na França. Preferindo viver com visto de estudante  ou pesquisador em Berlim.